FIES

O Fies (Fundo de Financiamento Estudantil) é um programa criado pelo MEC que oferece financiamento estudantil aos estudantes de cursos de graduação de instituições privadas cadastrados no sistema. O programa foi criado com o intuito de facilitar o acesso de jovens de baixa renda à educação superior.

Abaixo você pode conferir tudo o que você precisa saber sobre o Fies deste ano e o que muda com as novas regras para 2018.

Como funciona o Fies?

Ao início de cada semestre letivo o Fies abre inscrições para os candidatos que desejam concorrer a um contrato de financiamento estudantil. Os selecionados contam com o auxílio do Governo Federal para o custeamento das mensalidades do curso, até a conclusão do mesmo. Após a conclusão do curso o beneficiado deverá devolver o valor financiado pelo governo em parcelas mensais.

O financiamento da mensalidade estudantil possui três fases que são divididas de acordo com o nível de envolvimento do estudante com a dívida, são elas:

  • Durante o curso:

Durante o período em que o aluno está cursando a graduação é necessário custear apenas os juros do financiamento que, atualmente, são de 6,5% ao ano. O valor da taxa de juros não ultrapassa R$ 150,00 e deverá ser pago trimestralmente durante todo o período do financiamento e da etapa seguinte, até que seja integralmente quitado.

  • Período de Carência:

Período de Carência se inicia imediatamente após a formatura do beneficiário e dura por um período máximo de 18 meses. Este período serve para que o recém formado possa buscar estabilidade financeira antes de iniciar o pagamento da dívida propriamente dita.

Por este motivo, durante este período, o beneficiário paga somente a taxa de juros trimestralmente.

  • Amortização:

fase de Amortização é o período pelo qual se estende o pagamento mensal da dívida estudantil com o valor definido no contrato do financiamento. Este período se inicia no 19° mês após a formatura do beneficiário, ou seja, no mês seguinte ao encerramento do período de carência.

O valor deverá ser pago no banco em que foi feito o financiamento por meio da GRU emitida para tal.

 

Quais cursos participam do Fies?

O Fies é válido para cursos de graduação presenciais oferecidos pelas instituições participantes. Embora todos os cursos possam ser ofertados, até o processo seletivo do segundo semestre de 2017 existe preferência pela oferta de cursos de Medicina, Licenciaturas e Engenharias.

Para saber quais os cursos e instituições participam do Fies, acesse o formulário de pesquisa do SisFies.

Quais os tipos de financiamento oferecidos pelo Fies?

Atualmente, há apenas um tipo de contrato do Fies, que oferece diferentes porcentagens de financiamento, estipuladas pelo próprio Fies de acordo com as suas informações de renda disponibilizadas no ato da inscrição.

É possível solicitar o financiamento de desde 10% do valor da mensalidade até 100%. No entanto, o valor mensal total a ser pago à instituição não pode ser superior ao teto de R$ 5.000,00 estipulado pelo Ministério da Educação.

Para saber qual financiamento você pode receber é necessário calcular de acordo com a sua renda familiar bruta mensal por pessoae considerar seu nível de comprometimento da renda com a mensalidade, o valor máximo de financiamento depende do valor obtido.

Caso você possua condições de arcar com uma parcela maior da mensalidade do que o proposto, é possível optar por um valor de financiamento inferior ao máximo sugerido antes de assinar o contrato. Caso esta seja uma decisão sua durante o curso, também é possível solicitar a alteração por meio do aditamento realizado ao fim de cada semestre.

Como é feito o cálculo do financiamento pelo Fies?

O cálculo do financiamento do Fies é feito de forma complexa, levando em conta fatores como a renda familiar bruta per capita do estudante e o nível de comprometimento da renda com a mensalidade do curso.

Todos os detalhes sobre como é feito o cálculo podem ser conferidos no site oficial do SisFies.

 

Quem pode participar do Fies?

Podem participar do Fies candidatos graduados e não-graduados, com renda familiar bruta mensal per capita inferior ou equivalente a 3 salários mínimos e que tenham participado de alguma edição do Enem a partir de 2010.

Além destes requisitos é necessário ter obtido pontuação superior a zero na redação do Enem e média das provas objetivas igual ou maior que 450 pontos.

Também é permitido que os beneficiários de bolsas parciais do Prouni participem do Fies, por meio do financiamento do valor restante da mensalidade.

 

Cronograma do Fies

O cronograma do Fies costuma ser liberado juntamente com o Editalno site oficial do Fies, logo após a divulgação dos resultados do Prouni. Desta forma, o candidato selecionado para bolsas parciais do Prouni podem se inscrever também no processo seletivo do Fies.

Para acessar, basta clicar na aba “cronograma” disponível no site do Fies.

Como se inscrever no Fies?

A inscrição do Fies costuma ser mais complexa que a do Sisu e a do Prouni, e possui 4 etapas principais:

  • Pré-seleção

Nessa primeira etapa o candidato deve acessar o Sistema de Seleção do Fies e cadastrar o seu CPF, sua data de nascimento, uma senha para acessar o portal de seleção e um endereço de e-mail válido e em uso. Feito isto, um link será enviado para a caixa de e-mail do candidato para a confirmação do cadastro.

Realizados estes passos, o candidato deve continuar a preencher seus dados, indicar o curso desejado e a instituição de ensino.

  • Inscrição

Após o resultado da pré-seleção ser divulgado no site oficial do Fies, os candidatos selecionados devem realizar o cadastro no site do SisFies, onde irão informar os dados necessários para a contratação do financiamento estudantil como, por exemplo, as informações do fiador, de renda e de alguns documentos.

  • Validação das Informações

Concluída a inscrição no SisFies, o candidato deve se dirigir à instituição de ensino na qual está tentando a vaga para validar as informações cadastradas no SisFies, na Comissão Permanente de Supervisão e Acompanhamento (CPSA).

  • Contratação do Financiamento

Após a validação das informações, o candidato deve comparecer, juntamente com seu fiador, à agência do banco escolhido no cadastro do SisFies para negociar e formalizar a obtenção do financiamento estudantil.

Atualmente, o financiamento é realizado apenas pela Caixa Econômica Federal e pelo Banco do Brasil.

Todos os prazos das etapas supracitadas são disponibilizados no edital e no cronograma.

O que é a CPSA?

A CPSA é a Comissão Permanente de Supervisão e Acompanhamento, uma unidade presente nas instituições participantes do Fies especialmente designada para tratar dos assuntos ligados ao programa. A entidade, é constituída de dois representantes de cada esfera componente da instituição de ensino, os discentes, os docentes e o setor administrativo.

É responsabilidade da CPSA avaliar e validar as informações prestadas pelos candidatos, e cuidar dos processos ligados ao Fies, como dar início ao processo de renovação dos contratos.

Como é o processo seletivo do Fies?

O processo seletivo do Fies na etapa de pré-inscrição é bastante semelhante ao do Sisu e do Prouni, porém só é possível escolher uma única opção de curso. Ao ser direcionado para as vagas disponíveis, o candidato pode adicionar filtros de localidade, turno, instituição e curso para encontrar a vaga que mais se encaixa em seu perfil.

Durante os dias previstos no prazo para a inscrição o candidato terá acesso às notas de corte atualizadas diariamente e poderá alterar o curso escolhido a qualquer momento antes que se encerre o período disposto no cronograma para a realização da inscrição.

Como é calculada a nota de corte?

A nota de corte de cada curso é calculada de acordo com o número de vagas disponíveis e a nota dos candidatos não-graduados inscritos. Basicamente, o que o sistema faz é organizar os candidatos na ordem em que seriam selecionados e definir qual seria a nota mínima para estar entre os possíveis cotados daquele dia, naquela modalidade e turno específicos.

A nota de corte é variável, não sendo possível estimar com exatidão. Entretanto, é possível utilizar a média das notas de corte finais dos anos anteriores para se basear.

Como é feita a classificação dos candidatos?

Os candidatos são ordenados de acordo com a nota do Enem, sendo que o primeiro colocado é o que obteve a maior pontuação na média das provas objetivas e de redação. A preferência é sempre dada ao candidato não-graduado e, no caso de algumas vagas não serem ocupadas, os candidatos que estão em busca de uma segunda graduação são selecionados.

Critérios de desempate

Caso haja dois ou mais candidatos com nota igual no momento da classificação, o sistema selecionará primeiro aquele que obtiver a maior nota na prova de redação do Enem. Se os candidatos persistirem empatados, serão utilizadas as maiores notas nas provas de Linguagens, Matemática, Ciências da Natureza e Ciências Humanas, nesta ordem.

Se o empate se der entre um candidato não-graduado e um candidato graduado, o candidato não-graduado tem preferência, independente da nota obtida nas provas do Enem.

Como ver o resultado do Fies?

O resultado dos candidatos selecionados será publicado no site oficial do Fies, em uma única chamada, na data prevista no Edital e no cronograma. Também é possível saber se foi selecionado entrando em contato com a instituição de ensino na qual tentou a vaga.

Lista de Espera

A lista de espera do Fies é divulgada juntamente com o resultado da chamada única. No entanto, os candidatos presentes na lista de espera só terão direito a uma vaga caso não haja o preenchimento pelos alunos pré-selecionados na chamada única.

É importante estar atento à seleção dos candidatos da lista de espera, que pode ser acompanhada no próprio site oficial do Fies. Após a divulgação do resultado, o candidato tem apenas 5 dias para prosseguir com o processo de requerimento do financiamento estudantil.

Vagas remanescentes

Se mesmo após a matrícula dos candidatos selecionados na lista de espera houver sobra de vagas, é aberto um novo edital de seleção para a oferta das vagas remanescentes. O edital pode ser encontrado no site oficial do Fies, juntamente com todas as instruções para a inscrição.

O período de inscrições é separado para candidatos graduados e não-graduados, sendo que os não-graduados possuem preferência e por isso podem se inscrever primeiro. As demais regras do Fies permanecem as mesmas.

Como é o processo de contratar o financiamento pelo Fies?

Para contratar o financiamento pelo Fies o candidato pré-selecionado deve cumprir as etapas já citadas anteriormente e ir à agência do banco escolhido no cadastro do SisFies para a apresentação dos documentos e formalização do contrato.

Após a inscrição no SisFies, o candidato terá 10 dias para comparecer ao banco com todos os documentos necessários, caso contrário o benefício é perdido e passado a outro candidato.

Quais os documentos necessários?

Para formalizar o contrato é necessário apresentar ao banco alguns documentos, confira:

    • Documentos do contratante:
      • Documento de identificação oficial com foto;
      • CPF;
      • Comprovante de residência;
      • Documento de Regularidade de Inscrição (DRI) emitido pela CPSA.

Também podem ser requisitados:

    • Documentos do representante legal, para menores de 18 anos;
    • Certidão de casamento, CPF e documento de identificação do cônjuge, quando for o caso;
    • Termo de concessão de bolsa parcial do Prouni, quando for o caso;
  • Documentos do fiador:
    • Documento de identificação oficial com foto;
    • CPF;
    • Comprovante de residência;
    • Comprovante de rendimentos, somente em caso de fiança convencional;
    • Certidão de casamento, CPF e documento de identificação do cônjuge, quando for o caso.

Quem pode ser fiador do Fies?

Ser fiador de alguém é grande responsabilidade e, por isso, existem algumas regras sobre quem pode ou não ser fiador. Por exemplo, esta atribuição não pode ser concedida ao cônjuge do candidato, nem aos beneficiários do Fies e do Programa de Crédito Educativo.

Além disso, somente cidadão brasileiro, ou português, poderá atuar como fiador do beneficiário do Fies.

Quais os tipos de fiança do Fies?

Independente do financiamento concedido pelo programa, é necessário cadastrar um fiador durante o cadastro no SisFies. Este fiador poderá ser alterado posteriormente durante o processo de aditamento semestral do Fies.

No momento, o Fies oferece duas modalidades de fiança, que podem ser escolhidas diretamente no SisFies:

Fiança convencional

No modelo de fiança convencional o candidato deve selecionar até duas pessoas físicas, maiores de 18 anos, com renda suficiente para quitar a dívida do financiamento em caso de inadimplência. Neste caso, é considerado suficiente que o salário bruto mensal seja equivalente ao dobro da mensalidade financiada.

Fiança solidária

fiança solidária permite que o beneficiário do Fies escolha de três a cinco pessoas físicas para atuarem como fiadores da dívida. Para ser fiador por esta modalidade são aplicáveis as seguintes regras:

  • Não é necessário apresentar comprovação de rendimentos;
  • Os integrantes devem ser estudantes da mesma instituição de ensino que o candidato;
  • Os integrantes não podem ser pertencentes ao mesmo grupo familiar do candidato.

Consegui o financiamento e agora?

Agora é só se informar na instituição de ensino na qual está matriculado para começar assistir às aulas. Caso o período letivo já tenha iniciado, o Fies só passa a valer para o próximo semestre, desta forma nenhum aluno é reprovado por frequência ou tem prejuízos na matéria.

Para os alunos que já frequentavam as aulas como aluno regular do curso antes de conseguir o financiamento estudantil, é possível obter o ressarcimento das mensalidades pagas por meio do SisFies.

Uma vez que o financiamento foi concedido, este se estende por todo o curso desde que não haja quebra de contrato e que o aluno siga realizando o aditamento semestralmente.

O que é o Aditamento do Fies?

O aditamento nada mais é do que a renovação do contrato do Fies para o semestre seguinte. Todo o processo é realizado on-line pelo SisFies e depende da instituição de ensino disponibilizar os dados do estudante no sistema.

Uma vez que os dados tenham sido fornecidos pela instituição, é possível realizar o aditamento. Os alunos que não o fizerem dentro do prazo estipulado pelo sistema perdem o benefício do financiamento, por isso fique atento às datas!

Abatimento de 1% da dívida do Fies

Professores e médicos que tenham se formado utilizando o financiamento estudantil do Fies têm direito ao abatimento de 1% mensal do saldo devedor. Para ter acesso a este benefício, basta fazer a solicitação pelo SisFies.

Para saber mais sobre o abatimento, basta clicar nas abas específicas do site oficial do SisFies.

O que muda com o novo Fies?

O novo Fies promete grandes mudanças para o programa em 2018. Começando pelas vagas ofertadas que deixam de ser preferencialmente para cursos de Engenharia, Licenciatura e Medicina, e passam a ser distribuídas igualmente entre os ofertados pelas instituições. Outras mudanças mais profundas nós discutiremos logo abaixo.

O que muda nas regras gerais?

O Novo Fies prevê uma ampliação no grupo de favorecidos, estendendo o benefício a candidatos que tenham renda familiar mensal bruta per capita de até 5 salários mínimos.

Além disso, o financiamento estudantil pode ser firmado por meio de três tipos diferentes de contrato, cada qual voltado para seu público específico. Os três tipos divulgados pelo Ministério da Educação são:

  • Fies 1

O financiamento do Fies 1 é destinado a candidatos com renda familiar bruta mensal per capita de até 3 salários mínimos. O benefício prevê ainda, que os estudantes que firmarem contrato nesta categoria serão isentos da taxa de juros, devendo pagar apenas o valor financiado.

  • Fies 2

O Fies 2 é destinado a candidatos com renda familiar bruta de até 5 salários mínimos mensais por pessoa, que residem nos territórios Norte, Nordeste e Centro-Oeste. A taxa de juros desta modalidade é de 3% mais o valor da correção monetária.

  • Fies 3

Aos candidatos das demais regiões do Brasil, com renda familiar bruta de 5 salários mínimos mensais per capita, o financiamento poderá ser feito por meio do contrato do Fies 3. As taxas de juros para este contrato ainda não foram discutidas, porém sabe-se que o valor deverá ser superior às taxas de juros do Fies 2, e ainda devem contar com a variação monetária.

O que muda nos valores?

Tratando-se de valores, o teto máximo do financiamento mensal deixará de ser R$ 5.000,00, no entanto ainda não foram acordados novos valores ou se haverá um teto máximo para o processo seletivo de 2018.

A principal mudança neste quesito é quanto ao valor do financiamento, que, devido à correção monetária aplicada sobre os contratos do Fies 2 e 3, não será mais explicitado no contrato e pode variar ao longo dos anos de financiamento.

Apesar desta alteração, os valores cobrados do aluno não serão randômicos e devem equivaler, no máximo, a 10% do rendimento mensal do beneficiário após a formatura.

O que muda na forma de pagamento?

As maiores mudanças do Novo Fies foram na forma de pagamento, isto porque as alteraçõe vieram justamente para tentar diminuir a taxa de inadimplência dos beneficiários já formados.

Dentre as mudanças mais drásticas estão o fim do prazo de carência e cobrança automática do valor das parcelas.

O prazo de carência de 18 meses não existirá mais e, assim que o beneficiário do Fies iniciar em um emprego regular o valor das parcelas serão descontadas automaticamente do valor do salário bruto.

Ainda faltam informações sobre o Novo Fies, que deverão ser divulgadas apenas em janeiro de 2018 no edital de seleção para o primeiro semestre letivo.

FONTE

SAIBA MAIS:

•   Diferenças entre o ENEM e o Vestibular Tradicional
•   SISU
•   PROUNI