Fuvest: Tudo que você precisa saber sobre a prova

A Prova da Fuvest costuma ser mais conteudista e exigente do que outros exames tradicionais

<span>–</span>

Primeira fase

A primeira fase do vestibular da Fuvest é composta por 90 questões de múltipla escolha para cinco horas de prova. As questões são divididas entre as disciplinas básicas do ensino médio – português e literatura, história, geografia, matemática, física, química, biologia, inglês – e algumas interdisciplinares. Será aplicada no dia 26 de novembro.

Lista de obras obrigatórias

As obras obrigatórias compõem a prova de literatura tanto na primeira quanto na segunda fase.

  • Iracema ‐ José de Alencar;
  • Memórias póstumas de Brás Cubas ‐ Machado de Assis;
  • O cortiço ‐ Aluísio Azevedo;
  • A cidade e as serras ‐ Eça de Queirós;
  • Vidas secas ‐ Graciliano Ramos;
  • Minha vida de menina ‐ Helena Morley;
  • Claro enigma ‐ Carlos Drummond de Andrade;
  • Sagarana ‐ João Guimarães Rosa;
  • Mayombe ‐ Pepetela.

Segunda fase

A segunda fase é composta por três dias de prova, nos dias 7, 8 e 9 de janeiro de 2018. O primeiro dia tem 10 questões de português e uma redação; o segundo, 16 questões sobre todas as disciplinas do ensino médio (exceto português); o terceiro dia é específico, a depender da carreira escolhida – veja aqui, a partir da página 2 do manual do candidato, quais são as provas específicas para cada curso. Lembrando que todas as questões, nos três dias, serão dissertativas.

Esse tipo de questão costuma gerar ansiedade por causa da relativa liberdade que se dá: qual deve ser o tamanho da resposta? E se eu escrever menos do que eles esperam? E se eu escrever mais do que pediram e acabar cometendo algum deslize? Para o professor de geografia do Anglo, Vagner Augusto da Silva, três passos são necessários para uma boa resposta: o primeiro é identificar o tema da pergunta. Assim, você não corre o risco de falar de coisas que não têm nada a ver e fugir do objetivo da pergunta.

Em seguida, identifique o comando da questão, que pode ser ‘cite’, ‘explique’, ‘analise’ etc. “Cada um deles implica um grau, uma especificidade da informação que se deve fornecer”, completa. Só então é que o aluno deve organizar sua resposta, procurando ser o mais direto possível. Isso pode ser feito colocando-se as coisas mais importantes no começo da resposta e as menos relevantes no final, caso dê tempo.

“Nada de colocar informações adicionais só para mostrar que sabe do assunto. Uma resposta enxuta basta”, explica. Segundo ele, os corretores têm um gabarito contendo os tópicos básicos esperados na resposta e, assim que os identificam, valida a questão. Ou seja, colocar dados a mais não vai dar mais pontos ao candidato.

Como funciona a nota

Saiba como fazer o cálculo

<span>–</span>

Primeira fase

A partir da prova da primeira fase, estabelece-se a nota de corte, ou seja, a nota do último convocado para a segunda etapa. A nota de corte é calculada a partir dos seguintes parâmetros:

V = Número de vagas da carreira
MC = Média da pontuação dos candidatos, nesta carreira, que não tiveram a prova anulada
N = Número de convocados para a segunda fase
K = Parâmetro definido pela seguinte regra:

a) K = 3, se MC ≥ 60
b) K = 2, se MC ≤ 30
c) K = 1 + (MC/30), se 30 < MC < 60 (o parâmetro K varia entre 2 e 3, nesse caso)

O número de convocados para a segunda fase é dado a partir da expressão: N = K x V.

Já a nota do candidato, para fins de cálculo na nota final, será obtida convertendo a pontuação para a base decimalExemplo: Se um candidato tirar 59 pontos dos 90 possíveis na primeira fase, sua nota será multiplicada pelo fator 100/90. Portanto, a nota ficaria assim: 59 x 100/90 = 65,5556

Os candidatos que pontuarem menos de 30% da prova (ou seja, acertarem menos de 27 questões) estão automaticamente eliminados.

Segunda fase

A segunda fase é composta de três provas dissertativas, cada uma valendo 100 pontos. Na primeira prova, as questões de português e a redação valem, cada, 50 pontos. Uma particularidade dessa prova é que zerar a nota de redação não elimina o candidato, pois a Fuvest considera a nota de toda a prova, que inclui Língua Portuguesa e Literatura.

Cada questão pode receber pontuação de zero a quatro – o total dos pontos será convertido para a base decimal, assim como na primeira fase.

Exemplo: Se um candidato tirar 36 pontos dos 48 possíveis na terceira prova (12 questões x 4), sua nota nesse dia será multiplicada pelo fator 100/48. Portanto, a nota ficaria assim: 36 x 100/48 = 75.

Nota final

A nota final do candidato será a média aritmética simples das quatro provas (primeira fase + as três provas da segunda fase).

Calendário e informações

As datas das provas, dos resultados e a lista completa do que você pode ou não levar nos dias do vestibular

<span>–</span>

Provas

  • Locais de prova da primeira fase: 17 de novembro
  • Prova da primeira fase: 26 de novembro
  • Provas da segunda fase: 7, 8 e 9 de janeiro
  • Prova de habilidades específicas (Artes Cênicas): 10, 11 e 12 de janeiro

Resultados

  • Divulgação dos convocados para a segunda fase e locais de prova: 18 de dezembro
  • Primeira chamada: 2 de fevereiro
  • Segunda chamada: 8 de fevereiro
  • Terceira chamada: 22 de fevereiro
  • Quarta chamada: 27 de fevereiro
  • Quinta chamada: 2 de março

Matrículas

  • Matrícula da primeira chamada (online): 5 e 6 de fevereiro
  • Matrícula da primeira e segunda chamadas (presencial): 15 e 16 de fevereiro
  • Matrícula da terceira chamada (presencial): 23 de fevereiro
  • Matrícula da quarta chamada (presencial): 28 de fevereiro
  • Matrícula da quinta chamada (presencial): 5 e 6 de março
  • Confirmação de matrícula para os convocados até a data: 5 e 6 de março

Materiais permitidos e proibidos nos dias de prova

Material obrigatório*

  • Documento de identidade
  • Caneta esferográfica azul ou preta

*No primeiro dia da segunda fase, os candidatos deverão levar uma foto 3×4 recente

Material permitido

  • Lápis
  • Borracha
  • Régua
  • Compasso
  • Apontador
  • Água
  • Alimentos leves

Material proibido

  • Relógio de qualquer tipo
  • Equipamentos eletrônicos como calculadora, celular, computador, tablet, reprodutor de áudio, máquina fotográfica, filmadora, equipamento eletrônico do tipo vestível (como smartwatch, óculos eletrônicos, ponto eletrônico) etc.
  • Material impresso ou de anotações
  • Corretivo
  • Caneta que não seja esferográfica
  • Gorro, boné, chapéu, ou similares
  • Protetor auricular, fone de ouvido ou similares

O que estudar

Professores dão dicas para mandar bem na prova

<span>–</span>

PORTUGUÊS E LITERATURA

Gramática e interpretação de texto

  • Estrutura de palavras (sufixos e prefixos)
  • Morfossintaxe (estudo das classes de palavras e análise de frases, orações e períodos)
  • Figuras de linguagem
  • Discurso direto e indireto
  • Concordância nominal e verbal

Dica– Estude bem o sentido de cada prefixo e sufixo, pois muitos são usados em diversas palavras. Procure informar-se o máximo que conseguir sobre a formação de palavras para conseguir identificar os diversos sentidos que os vocábulos podem assumir em diferentes textos.

– Todo texto ou enunciado possui uma intenção. Essa intencionalidade do autor está registrada com uma linguagem mais ou menos informal de acordo com a situação comunicativa. Se o excerto for um diálogo na rede social, certamente haverá abreviações, linguagem não-verbal e “incoerências” de acordo com a norma culta.

– Tente adequar as figuras de linguagem ao seu cotidiano. Imagine como você explicaria determinadas situações usando essas figuras de estilo. Fique atento às campanhas publicitárias, seja na mídia audiovisual ou impressa, e procure entender os recursos persuasivos que estão presentes, de forma direta e indireta.

– Quando o exercício destacar determinada palavra ou expressão, leia primeiro o enunciado para que você otimize o tempo e já consiga, na primeira leitura, identificar os termos e as referências ao longo do texto.

Literatura

Veja a lista completa das obras obrigatórias na seção “A prova”.

É muito comum os candidatos recorrerem aos resumos, vídeos no YouTube e até resenhas críticas sobre os livros. Tenha cuidado, pois o vestibular exigirá um nível avançado de leitura e entendimento das obras, tanto no aspecto da narrativa propriamente dita como do contexto histórico, social, a relevância da obra para o estilo literário da época e até características do autor. Leia os livros e faça anotações ao longo do texto sobre as suas impressões.

A intertextualidade é amplamente explorada no exame. Muitas vezes você deverá confrontar um texto literário com um texto não literário. Extrapole as possibilidades de cada texto, procure entender a sua intencionalidade, os aspectos que os aproximam e distanciam.

Tente estabelecer relações entre letras de música, propagandas, textos de diferentes gêneros, filmes e seriados. Você perceberá que é possível estabelecer inúmeras associações com todo tipo de informação que lidamos todos os dias. Não se esqueça de ler, quando aparecer algum texto para analisar ou comparar, a referência bibliográfica/fonte. Ela pode te fornecer informações preciosas e indícios para iniciar sua análise.

HISTÓRIA

História do Brasil

  • Colônia: estrutura socioeconômica, orientada pelo mundo do açúcar e da mineração;
  • Império: Constituição de 1824, as revoltas regenciais, a política externa e a crise do Segundo Reinado;
  • República Velha: os conceitos de coronelismo, a política dos governadores, a política do café com leite, os conflitos sociais (Canudos, Contestado, Revolta da Vacina);
  • Era Vargas: o conceito de populismo, a Revolução Constitucionalista, a Constituição de 1034 e as características gerais do trabalhismo, enfatizando a CLT;
  • República Liberal: os anos JK, a crise do populismo e os caminhos que levaram ao golpe de 64;
  • Ditadura Civil-Militar: tropicalismo, os atos institucionais, a Lei de Anistia e o movimento das Diretas Já!;
  • Nova República: Constituição de 1988 e os processos que orientaram a ocorrência dos impeachments.

História geral

  • Instituições republicanas e democráticas (relação com a cidadania na Antiguidade Clássica);
  • Feudalismo (características gerais) e o Renascimento comercial;
  • Cruzadas, cultura medieval e mundo árabe;
  • Era das Revoluções (Industrial, Americana e Francesa);
  • Revolução Russa;
  • Primeira e Segunda Guerras Mundiais;
  • Guerra Fria;
  • Nova Ordem Mundial;
  • História dos conflitos no Oriente Médio;

<span>–</span>

GEOGRAFIA

  • População: crescimento da população, distribuição espacial, composição por sexo e atividade, migrações internas e internacionais;
  • Urbanização: metropolização, conurbação, cidades globais, megacidades e hierarquia urbana, problemas urbanos, tanto sociais como ambientais;
  • Aspectos físicos: geomorfologia, hidrografia e clima, problemas ambientais. A abordagem dos domínios morfoclimáticos específicos do Brasil é bastante frequente;
  • Economia: atividades agrárias (enfoque na modernização da agricultura e problemas ambientais) e fontes de energia (impacto ambiental, fontes alternativas e crises energéticas)
  • Indústria: evolução do processo de industrialização no Brasil, o processo de descentralização no país e no mundo;
  • Atualidades: questões podem se referir diretamente ao tema em evidência ou para abordar questões mais tradicionais. Ex: o rompimento da barragem de Mariana foi utilizado para questionar a atividade econômica de importância na região.
DicaNesse ano, os principais assuntos relacionados à geografia foram:
– Mundo: governo Trump, crise na Venezuela, o terrorismo no mundo, migrações (com destaque para refugiados), Brexit, Coreia do Norte e fortalecimento dos movimentos nacionalistas e dos grupos supremacistas.
– Brasil: crises política e econômica, demarcação de terras indígenas e reformas da previdência e trabalhista.

INGLÊS

O grande foco do vestibular da Fuvest é a leitura e interpretação de textos. As questões são de nível médio de dificuldade, em sua maioria, e ao longo dos últimos cinco anos, os temas mais abordados foram relacionados às áreas de tecnologia, saúde, meio ambiente e atualidades. Os textos foram retirados de conceituados jornais e revistas americanas e britânicas, como The York Times, The Economist, The Guardian, Scientific American, Time e Newsweek.

É importante lembrar que as questões e alternativas são em língua portuguesa e cobram, em sua maioria, a habilidade de localizar as informações no texto. Isso pode ser comprovado por alguns enunciados usados nos últimos anos: “Segundo o texto, a bactéria Wolbachia, se inoculada nos mosquitos, bloqueia a transmissão da dengue porque…” (Fuvest, 2016) e “Conforme o texto, um dos elementos da metodologia empregada nos experimentos foi…” (Fuvest 2017).

Ative seu conhecimento prévio sobre o tema explorando o título do texto ou alguma possível ilustração. Do que se trata? Qual o assunto ou o tópico? Leia rapidamente o texto à procura de palavras-chave. Identifique a ideia principal e os argumentos ou ideias que a sustentam.

Se você se deparar com alguma palavra ou expressão desconhecida, tente descobrir seu significado pelo contexto, por sinonímia, por identificação de palavras cognatas. Estas últimas são palavras de origem latina, próximas ao português, que o ajudarão na compreensão do texto. No entanto, atentem para os falsos cognatos, por exemplo, parents (pais), pretend (fingir), actually (na verdade, de fato), eventually(enfim, finalmente), preservative (conservante), dentre outros.

BIOLOGIA

  • Ecologia: cadeias e teias alimentares, fluxo de energia (diferenciar de ciclos da matéria), relações entre seres vivos e impacto nas populações, sucessões ecológicas, biomas e impactos ambientais;
  • Citologia: transporte pela membrana celular, funções dos organoides e relação entre eles (foco no complexo golgiense, retículo endoplasmático, mitocôndria e cloroplastos), ácidos nucleicos e seu papel na síntese de proteínas, divisão celular;
  • Botânica: evolução (principais grupos de plantas e suas aquisições evolutivas, especialmente relacionadas à conquista do meio terrestre), e fisiologia (principais processos fisiológicos das plantas relacionados ao transporte de seivas, hormônios vegetais e fotossíntese);
  • Zoologia: evolução (principalmente em relação aos vertebrados), fisiologia (foco nos mecanismos fisiológicos presentes tanto no corpo humano quanto nos grupos vertebrados, especialmente relacionados à digestão, circulação, respiração e excreção);
  • Evolução: teorias evolutivas, genética (1ª Lei de Mendel), análise de heredogramas e herança ligada ao sexo.

Dica– Faça esquemas na forma de mapas conceituais, relacionando conceitos. Use e abuse das representações gráficas para criar seus próprios resumos. Use, por exemplo, representantes da fauna brasileira (araras, gambás, cotias, onça, lambari, pirarucu, tuiuú…) para construir suas teias alimentares.

– Use e abuse dos desenhos para esquematizar células (animal e vegetal, eucarionte e procarionte) e seus organoides. Esquematize uma célula diploide com quatro cromossomos (2n=4) em diferentes fases de mitose e meiose e dê atenção especial às metáfases e anáfases, indicando onde está havendo separação de cromátides-irmãs ou de cromossomos homólogos, coloque também nesse esquema genes alelos para entender a relação entre a meiose e a Genética.

– Faça resumos de árvores evolutivas (cladogramas) que apresentam grupos de plantas e novidades evolutivas. Crie resumos com desenhos envolvendo transporte de seivas, transpiração nas plantas e tropismos. Gráficos relacionados à fotossíntese costumam aparecer nas provas e saber interpretá-los é bem importante.

– Leia com muita atenção os enunciados porque eles trazem todos os componentes necessários para resolução dos problemas de genética.

<span>–</span>

FÍSICA

  • Velocidade, aceleração e gráficos;
  • Equação fundamental da dinâmica;
  • Energia e potência;
  • Conservação da energia mecânica;
  • Conservação da quantidade de movimento;
  • Equilíbrio;
  • Gravitação;
  • Pressão e empuxo;
  • Temperatura, dilatação, calor e gases perfeitos;
  • Reflexão e refração;
  • Conservação da carga, campo elétrico, trabalho e energia elétrica;
  • Corrente e potência em circuitos elétricos;
  • Campo e força magnética;
  • Ondas, equação fundamental e interferência;
  • Física moderna: equação de Einstein e energia de fóton.

QUÍMICA

  • Equilíbrio químico: equilíbrio iônico, cálculo de pH e pOH, aplicações do princípio de Le Chatelier, hidrólise salina e cálculo/interpretação de constantes de equilíbrio;
  • Reações químicas: reatividade dos metais e ametais, reações de dupla troca, reações de precipitação, redox (exemplo principal: combustão) e reações orgânicas. Na parte de reações inorgânicas, relação com a parte de soluções, cinética química e estequiometria;
  • Estequiometria: relação com termoquímica, soluções e gases, relação de pureza dos reagentes, identificação dos reagentes excesso e limitante, reações consecutivas e rendimento reacional;
  • Ligações químicas: ligações entre os átomos (molecular, covalente, iônica ou metálica), ligações intermoleculares (relações de solubilidade, temperaturas de fusão e ebulição e viscosidade);
  • Termoquímica: estabilidade das ligações, cálculo de ΔH das reações, relações estequiométricas com massas, análise do ΔHº combustão, relações com combustíveis.

Dica– Faça uma tabela identificando os ácidos e bases quanto à intensidade de acidez ou basicidade; exercite o comportamento ácido/base dos sais, óxidos e compostos orgânicos; monte um esquema mostrando os fatores que deslocam um equilíbrio químico e treine os cálculos de pH e pOH.

– Estude as propriedades da tabela periódica relativa à eletronegatividade e eletropositividade e à posição dos elementos químicos, o que facilita o estudo da reatividade dos elementos; faça uma tabela com os grupos funcionais relacionando às funções orgânicas e regras gerais de nomenclatura.

– Ao exercitar questões de reações orgânicas, procure identificar nos reagentes envolvidos as regiões positivas (átomo de menor eletronegatividade) e negativas (átomo de maior eletronegatividade), o que facilita o aprendizado do mecanismo reacional de vários grupos reacionais.

– Exercite o balanceamento de equações químicas pelo mais diversos métodos (tentativas, algébrico, redox e íon-elétron); utilize o conhecimento das leis ponderais e volumétricas.

– Monte uma tabela com as características de reconhecimento para cada ligação química e relação de cada uma delas com as propriedades físicas e químicas dos compostos.

MATEMÁTICA

  • Geometria plana
  • Logaritmos e função logarítmica (foco nas propriedades operatórias)
  • Análise combinatória
  • Probabilidade
  • Progressões aritméticas e geométricas

Dica– Logaritmo pode ser usado em questões interdisciplinares, como cálculo do pH de soluções, tempo de desintegração de uma substância radioativa, idade de fósseis, etc.

– Ao estudar análise combinatória, foque em compreender plenamente o princípio fundamental da contagem. Escrever o raciocínio que está sendo desenvolvido no exercício ajuda a levar em consideração todos os casos possíveis envolvidos na contagem ou a cair em alguma “armadilha” no cálculo.

Redação

<span>–</span>

A redação é de tipo dissertativo e é aplicada no primeiro dia da segunda fase, junto à prova de português, valendo 50 pontos dentre os 100 totais do dia. Veja os critérios de correção:

Tipo de texto e abordagem: A banca examina se o texto atendeu aos padrões de uma dissertação e se está adequado ao tema. Assim como na Unesp, também é avaliado se o texto soube articular o tema à coletânea, e se foi capaz de selecionar os pontos importantes de cada trecho. Também é analisada a abordagem do tema e o potencial crítico dos argumentos.
Estrutura: Avalia a coerência do texto, os parágrafos, os elementos de coesão. A organização dos argumentos e sua disposição no texto também são analisados.
Expressividade: Corrige os aspectos gramaticais, como ortografia, pontuação e demais erros. Além disso, a competência do candidato em defender o ponto de vista e a clareza de suas ideias.

 

A Fuvest valoriza o texto bem articulado e o candidato que saiba ir além da coletânea. O estudante deve mostrar que sabe fundamentar sua tese com seu repertório pessoal de informações, ou seja, que consegue fugir do senso comum, apresentando um conhecimento construído ao longo da vida e em tudo o que absorveu de seus estudos.

Dica: Destine pelo menos uma hora e meia do seu tempo para a redação. Tente em 45 minutos elaborar o rascunho e a outra metade para passar a limpo. Para ganhar tempo, você pode escrever as palavras-chave de cada parágrafo e seus conectivos ao invés de redigir o texto integral.

Estrutura

1. Desenvolvimento do tema e organização do texto

Diferentemente do Enem, em que o título é facultativo, na Fuvest é obrigatório. A estrutura do texto dissertativo (introdução/tese, desenvolvimento e conclusão) deve servir como fio condutor para articular o seu ponto de vista sobre o tema proposto. É interessante organizar o seu texto em até quatro parágrafos, sendo o primeiro para a introdução/tese, no qual deixará claro qual a sua postura sobre o assunto, dois parágrafos para desenvolver os argumentos e o último para concluir.

Dica: Seus argumentos não devem ser meramente expositivos, mas sim servir como fundamentação/justificativa para o seu posicionamento frente ao tema. A Fuvest estabelece o mínimo de 20 linhas e o máximo de 30. Se o texto discorrer sobre um assunto divergente do tema proposto, não cumprir o mínimo de linhas indicado ou atender outra estrutura textual que não seja a dissertativa, a redação será zerada.

2. Coerência e articulação de argumentos

Ao desenvolver o tema, fique atento à organização das suas ideias. Coesão é a organização dos períodos e frases dentro do parágrafo. Use e abuse dos conectivos (preposições e conjunções). A coerência está relacionada à sequência dada ao texto, isto é, à maneira como você sai de um parágrafo para o outro. Cada parágrafo deverá discorrer uma ideia dentro do universo temático estabelecido pelos textos de reflexão. Deixe clara a sua tese na introdução, seus argumentos nos parágrafos mediais e a conclusão no último parágrafo.

Dica: Faça uma revisão das preposições e, principalmente, das conjunções. Como há diversas conjunções para expressar a mesma ideia, é interessante conhecê-las bem para evitar ser repetitivo ao escrever. Os avaliadores gostam de ser surpreendidos: evite o senso comum com expressões de caráter popular e frases feitas. Inove, use citações e referências às diversas culturas e mídias. Vale citar letras de músicas, fazer referências a filmes ou séries e até citar pessoas influentes, desde que sirvam para fundamentar a sua opinião sobre o tema. A conclusão, ao contrário do Enem, não precisa propor uma intervenção. Preocupe-se em fechar o texto de forma clara, ou seja, certifique-se de ter se posicionado de forma coerente, usando argumentos convincentes e alinhados com sua visão e conhecimento sobre o assunto. Finalize dando um panorama das ideias defendidas e reforçando a sua postura sobre o tema proposto.

3. Correção gramatical e adequação vocabular

Assim como em outras seletivas, a variante exigida para a elaboração da redação é a norma padrão escrita da língua portuguesa. Atente-se à pontuação e ao uso do vocabulário adequado. Evite expressões complexas, use termos claros que não causem ambiguidade ou interpretação dúbia.

Dica: Se errar alguma palavra ao longo do texto, passe um risco no meio e continue. Estrangeirismos e gírias/expressões coloquiais, caso sejam necessárias, devem ser redigidas entre aspas.

Temas

Embora os temas das redações já tenham versado sobre questões humanas e sociais, há propostas que dialogam com questões políticas e outras que beiram o inusitado. Desde 2010, já se falou sobre o uso da imagem, altruísmo e pensamento a longo prazo, participação política, consumismo, envelhecimento da população, segregação de classes, utopias e até temas filosóficos, como o amadurecimento e responsabilidades da vida adulta.

Sem dúvida, o candidato deve estar preparado para discorrer sobre temas que envolvam política, participação social, vulnerabilidade, sustentabilidade e assuntos mais introspectivos e humanos.

É verdade que vivemos na era da informação e nunca foi tão fácil acessar o conhecimento, saber sobre tudo e todos com tanta velocidade. Mas tome cuidado com o tipo de mídia que você está consultando. Não se alimente só de informações compartilhadas em redes sociais ou consulte uma única fonte sobre determinado assunto. Confronte diferentes visões sobre o mesmo assunto, duvide de algumas verdades colocadas na sociedade.

Na redação, espera-se que o aluno demonstre consciência crítica e capacidade de interpretar não só o que lê, mas as diferentes opiniões, abordagens e entrelinhas do tema.

Os cinco últimos temas das provas da Fuvest
2017 – O homem saiu de sua menoridade?
2016 – As utopias: indispensáveis, inúteis ou nocivas?
2015 – “Camarotização” da sociedade brasileira: a segregação das classes sociais e a democracia
2014 – Envelhecimento da população
2013 – Consumismo

Provas anteriores

Baixe os exames anteriores para se familiarizar com o tipo da prova e o estilo das questões

<span>–</span>

Independentemente das técnicas de estudo que você tenha escolhido, uma coisa é fundamental: resolver provas anteriores.

Além de ajudar você a se acostumar com o estilo da prova, resolver as questões antigas também pode servir como “termômetro” para os seus estudos, ajudando a verificar quais assuntos precisam ser mais treinados.

Mas saber todo o conteúdo não é tudo: é essencial saber administrar seu tempo e sua concentração e ter boa resistência física (afinal, são cinco horas de prova!). Por isso, aconselhamos você a reservar alguns dias para resolver as provas inteiras nas mesmas condições exigidas na aplicação do exame, como número máximo de horas, espaço e alimentação.

Nessa situação, fique longe de tudo o que possa distrai-lo, como celular, computador, televisão ou mesmo familiares e amigos – lembre-se de que, no dia da prova, nada disso será permitido! Ter esse treinamento poderá ser o seu diferencial no grande dia.

Separamos abaixo as provas para ajudar você nessa tarefa:

2017

2016

2015

2014

2013

 Fonte

 

Calendário

dezembro, 2017

Ordenar Opções

dom

seg

ter

qua

qui

sex

sab

-

-

-

-

-

1

2

3

4

5

6

7

8

9

10

11

12

13

14

15

16

17

18

19

20

21

22

23

24

25

26

27

28

29

30

31

Sem eventos.

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

SISU 2018: Inscrições, Vagas, Resultado e Lista de Espera
SISU 2018: Inscrições, Vagas, Resultado e Lista de Espera.

O SISU 2018 oferece a oportunidade para milhares de estudantes terem acesso ao nível superior em instituições públicas que são financiadas pelo governo, sendo assim, o aluno terá acesso a educação gratuita. Aqui nós vamos esclarecer todas as dúvidas sobre o SISU 2018, como se inscrever, como funciona e muito mais.   Diferente do ProUni que oferece bolsas integrais ou […] [mais]

Fuvest divulga nota de corte da 1ª fase do vestibular USP 2018
Fuvest divulga nota de corte da 1ª fase do vestibular USP 2018.

Fuvest 2018 – Notas de corte    Nesta sexta-feira, 8 de dezembro, a Fuvest publicou em seu site o número mínimo de acertos, por carreira, necessário para o acesso à segunda fase do vestibular USP 2018, a chamada nota de corte. O curso de Medicina, em São Paulo, teve a maior nota mínima (76) e máxima (90). […] [mais]

Unesp divulga aprovados para segunda fase do vestibular 2018
Unesp divulga aprovados para segunda fase do vestibular 2018.

    São 53.016 convocados para a segunda etapa nos dias 17 e 18 de dezembro. Por G1 Campus da Unesp em Marília (Foto: Reprodução / Google Maps) A Universidade Estadual Paulista (Unesp) divulgou nesta sexta-feira (1º) o resultado da primeira fase do vestibular 2018. São 53.016 convocados para a segunda etapa do processo seletivo. […] [mais]