Ganhadores do Nobel da Paz receberão medalha feita de ‘ouro ético’

Mineiros colombianos forneceram ouro de mina certificada como ética.
Cooperação visa destacar problemas enfrentados pelos mineiros no mundo.

Os ganhadores do prêmio Nobel da Paz de 2015, os integrantes Quarteto do Diálogo Nacional da Tunísia, assinam livro no Instituto Nobel em Oslo, na Noruega, nesta quarta-feira (9) (Foto: Haakon Mosvold Larsen/NTB/Reuters)

Os ganhadores do prêmio Nobel da Paz de 2015, os integrantes Quarteto do Diálogo Nacional da Tunísia, assinam livro no Instituto Nobel em Oslo, na Noruega, nesta quarta-feira (9).

Quando os ganhadores do Prêmio Nobel da Paz deste ano receberem sua medalha de ouro em uma cerimônia nesta quinta-feira (10), um grupo de mineiros colombianos também se sentirá orgulhoso com a apresentação da primeira medalha do Nobel feita de “ouro ético”.

Uma equipe de mineiros da cidade colombiana de Iquira, no sudoeste do Departamento de Huila, forneceu o ouro para o prestigioso prêmio a partir de uma mina certificada como ética.

A medalha é resultado de uma cooperação entre a Casa da Moeda norueguesa, que produz a medalha, e a entidade colombiana sem fins lucrativos Aliança para a Mineração Responsável, com a finalidade de destacar os problemas enfrentados pelos mineiros que operam em pequena escala em regiões pobres do mundo.

“Sentimo-nos muito orgulhosos de saber que o Prêmio Nobel foi feito com material que veio daqui, da nossa região, e é um material muito ético e justo”, disse Jose Ignácio Pérez, um mineiro na Cooperativa Iquira, à Fundação Thomson Reuters .

A medalha será entregue em Oslo ao Quarteto do Diálogo Nacional da Tunísia, os mediadores responsáveis ​​por evitar que o país mergulhasse em uma guerra civil na sequência da Primavera Árabe.

Os 150 gramas de ouro 18 quilates da medalha de 63 milímetros vêm da Cooperativa Iquira, premiada com a certificação Fairmined por atender às exigências rigorosas sobre práticas responsáveis, proteção ambiental e desenvolvimento social. A certificação Fairmined visa reduzir o impacto nocivo da mineração ilegal em países em desenvolvimento ricos em minerais.

A produção de ouro tem sido associada a abusos nos locais de mineração, incluindo trabalho forçado e infantil, bem como o deslocamento forçado de populações e a degradação ambiental, segundo o grupo de direitos trabalhistas Verité, sediado nos Estados Unidos.

A mineração de ouro é uma fonte crucial de renda para muitas comunidades da América Latina, África e Ásia. Cerca de 90 por cento dos mineiros de ouro do mundo trabalham em minas improvisadas e de pequena escala, muitas vezes enfrentando condições difíceis.

FONTE:

 

Calendário

novembro, 2018

Ordenar Opções

dom

seg

ter

qua

qui

sex

sab

-

-

-

-

1

2

3

4

5

6

7

8

9

10

11

12

13

14

15

16

17

18

19

20

21

22

23

24

25

26

27

28

29

30

Sem eventos.

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

Novembro: Mês da Conscientização do Câncer de Próstata
Novembro: Mês da Conscientização do Câncer de Próstata.

O câncer de próstata é o tipo de câncer mais comum entre os homens. A próstata é uma glândula que está localizada na base da bexiga, na frente do reto. É normal haver um aumento natural da próstata à medida que os homens envelhecem. Contudo, o câncer de próstata é causado com um aumento desproporcional […] [mais]

Enem 2018: locais de prova estão disponíveis para consulta no cartão de confirmação
Enem 2018: locais de prova estão disponíveis para consulta no cartão de confirmação.

Para acessar a informação, é necessário número do CPF e senha. Exame acontece nos dias 4 e 11 de novembro. Os candidatos que irão realizar o Exame Nacional do Ensino Médio 2018 podem consultar a partir desta segunda-feira (22), o cartão de confirmação com o local e o horário das provas. Para acessar o documento, é necessário […] [mais]

A pedido do MEC, governo adia início do horário de verão por causa do Enem 2018
A pedido do MEC, governo adia início do horário de verão por causa do Enem 2018.

Antes previsto para o dia 4 de novembro, o novo horário deve entrar em vigor no dia 18 seguinte. O presidente Michel Temer resolveu atender o pedido do Ministério da Educação (MEC) para adiar o início do horário de verão. A mudança nos relógios estava prevista para o dia 4 de novembro, primeiro dia de provas […] [mais]